quinta-feira, 26 de junho de 2014

Que essa seja minha parte II

No Sarah o meu caso foi analisado e o corpo médico chegou a conclusão que jamais devia ter feito a artroscopia e que a única solução para o meu caso seria a prótese ou suportar as dores dos ossos se encontrando.
Muitos  não devem imaginar a dor que sinto somente para movimentar um braço… os ossos se encontram em um local onde o úmero jamais devia atingir e as dores são viscerais…
Justamente por isso, fiquei parado até 22 de dezembro, quando tomei vergonha na cara e resolvi encarar meus demônios e voltar a treinar.
Cada vez que levanto um peso é como se estivessem arrancando meu braço, cada série, cada movimento… Tudo causa dores terríveis…
Então porque continuo? Porque ceder as minhas fraquezas, as dores e aos meus medos, seria mostrar que tudo que relato nesse blog não passa de uma grande mentira.
 Queridos… O corpo é fraco, mas o espírito é forte…
Quando achar que não consegue fazer algo, quando temer as dores, quando pensar em tomar remédio sem necessidade ou quando estiver triste por causa de alguma deficiência, cicatriz ou fraqueza. Não esqueça que você é muito mais que um corpo. Você é feito de um espírito forte, de vontade… Você pode e deve superar os limites!
O impossível só existe até que alguém prove o contrário!
Devia ser impossível a esse que vos escreve, levantar até mesmo um pesinho de cinco quilos; mas contrariando tudo, levanto setenta quilos no supino. Sinto dores? Sim! chego a ficar tonto! Porque continuo? Porque nenhuma dor, nenhuma fraqueza irá ditar como viverei…
A todos uma ótima noite.
Deixo uma montagem com o raio-x de como meu osso fica quando movimento o braço esquerdo e duas fotos dos resultados dos primeiros 55 dias de volta aos treinos :)

terça-feira, 17 de junho de 2014

Que essa seja minha parte I

Lembro de meus 18 anos, de servir como paraquedista e da bela e sofrida oração do paraquedista, encontrada no bolso de um francês morto em combate.
Entre outras coisas, dizia:
…Dai-me, Senhor, o que Vos resta,
Dai-me aquilo que todos recusam.
Quero a insegurança e a inquietação,
Quero a luta e a tormenta…
Dai-me aquilo que os outros não querem;
Mas dai-me, também, a coragem
E a força e a fé.
Não sabia como essa oração teria peso em minha vida e serviria de pilar de sustentação.
Em fevereiro do 2013 operei uma hidrocele testicular. Por conta disso, fiquei 30 dias sem treinar e as dores que sentia em meu ombro esquerdo, desde o acidente de 2004, se tornaram incapacitantes.
Procurei um especialista em ombros e após vários exames, foi constatado que devido um erro médico em 2004, desenvolvi uma artrose seria. A única solução seria trocar minha articulação do ombro esquerdo por uma prótese, mas nem o médico indicava isso, devido a minha idade, pois certamente teria que substituir com o passar de 10, 15 anos…
Como solução paliativa, me foi proposto uma artroscopia, que logicamente aceitei.
Exames feitos, eternidade para o plano de saúde liberar, enfim… Em agosto finalmente consegui operar.
Infelizmente as coisas não deram como esperado e em outubro voltei so bloco cirúrgico, pois sofri uma luxação e meu úmero não parava mais dentro da articulação.
Mais uma vez as coisas não deram como esperado e decidi procurar o Sarah, hospital especializado em reabilitação motora…
Continua…