quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Um tendão, um caco e uma cartilagem esfacelada…

Aqui estou, mais uma vez em um hospital. Foi minha 13a cirurgia. Espero que a ultima.
Após algumas horas no bloco cirúrgico, finalmente estou me recuperando no quarto.
Segundo meu medico, a cartilagem estava totalmente esfacelada e por isso nos últimos meses até levantar o braço ocasionava tantas dores.
Após meditar sobre isso, chego a conclusão que não temos limites… Vc minha amiga e amigo que acompanham meu blog, para e pensem por um minuto: convivi com dores que para muitos seriam inimagináveis. Não somente na época do acidente, mas nos últimos nove anos, que passei com mais de 50% de um tendão, rompido, um caco de osso no ombro e uma artrose no nível mais severo, já sem nenhuma cartilagem no ombro, o que causava dores severas todas as vezes que levantava o braço. Imaginem quando ia a academia a cada dia treinar!
Minha cirurgia é temporária, isso é certo. O tendão foi reconstruído e o cisto ósseo retirado. A articulação foi lixada e a cartilagem substituída por uma genérica. Algo que me dará o conforto da normalidade por 1, 2, talvez três anos. Depois, pretendo conviver com as dores que virão até chegarem no ponto que for impossível e por fim, trocar minha articulação do ombro por uma prótese que deve durar uns 15 anos e ser substituída por outra, aí sim um problema, uma vez que ao que parece, a troca da prótese é algo mais complicado.
Mas enfim… Ao que isso me leva?
Amigos… Não desanimem diante das adversidades. Aquilo que parece sua fraqueza, pode ser sua maior força. Certa vez, uma menina me perguntou na academia se eu sentia muita dor ao treinar, pois fazia caras de quem sentia. Conversamos um pouco sobre um assunto que é quase inevitável na maioria de minhas conversas, as cicatrizes em meu braço. Perguntou porque nunca fiz cirurgia plástica e expliquei que após a primeira, desisti da seguinte, que seria por um expansor no braço para aumentar a quantidade de pele e retirar a pele com cicatrizes e cobrir com a nova, sem marcas. O motivo? As cicatrizes fazem parte do que sou hoje. Estão ali para lembrar que somos pequenos diante de Deus e que devemos nos aceitar como somos. E o principal: para aqueles que realmente me amam, ou virão a me amar, elas pouco importam.
Porque nunca desisti de treinar diante das dores crescentes e diria, insuportáveis? Pq quem nos limita não são as dores, membros inválidos o a falta deles. O que nos limita é nossa cabeça, é crer que a dor, o membro perdido ou inutilizado, são o que definem nossas vidas.
Vocês são maravilhosos e mais fortes do que crêem que fazem vcs crêem. Lutem e enfrente suas dores físicas e da alma. Certamente sairão mais fortes ao final. E lembre-se sempre: você tem um amigo aqui para todos os momentos! Se precisar conversar, envie uma mensagem que passo meus contatos. Todos.
Seja, feliz, seja forte e creia sempre que a algo melhor para você amanha, mas que deve construir esse amanhã com atitudes hoje.
Aqui estou: deitado em meu leito, com minhas dores e escrevendo esse post no pós cirúrgico. Por que? Hora… Se fizer bem a uma pessoa, já terá sido valido.
A todos, uma ótima e iluminada noite.

Um careta cheio de caretas

Lá estava eu, dentro da academia treinando centrado como sempre.
Havia acabado de me recuperar de uma cirurgia e estava treinando como sempre. Aqueles que olham para mim, certamente devem questionar: que palhaçada. É necessário fazer tanta cara feia enquanto treina?
Ou então: que metido, só porque pega um pouco mais de peso fica fazendo caretas (pelo menos não dou gritos… Rs).
A verdade é que desde 2005, 15 meses depois de sofrer o acidente que quase tirou minha vida (história aí em cima no link acidente), cada treino é um desafio não somente pela dor durante e após os treinos, mas também pela idade que por si só, é um desafio a ser vencido.
Quem olha para o “coroa” de 40 (academias são ambientes de jovens no qual um cara de 40 é visto como velho, embora esteja longe de me sentir assim), não imaginam que na frente deles, tem um homem que luta contra todas as probabilidades e levanta pesos, quando não devia nem ao menos mexer o braço.
Em breve farei uma nova cirurgia. O motivo? É o que vai fazer esse texto aparentemente perdido ter algum nexo.
A pouco tempo não agüentando mais conviver com minhas dores cada dia maiores, resolvi procurar um especialista em ombros, uma vez que minhas diversas idas a ortopedistas nunca apontaram nada. O resultado? Após uma série de exames, descobri que estou com uma artrose no grau mais avançado, com meu osso do úmero e articulação do ombro já se encostando, além disso, tenho um caco de osso solto no ombro e mais de 50% do meu tendão esta sem a cobertura. Bom… Creio que vocês já podem imaginar o que sinto diariamente ao ir a uma academia… Rs.
A sim! Tudo isso é o saldo dos erros médicos que sofri a nove anos atras. Mas enfim… A vida é isso e Deus sabe o que faz.
Vou poupa-los dos detalhes médicos, pois seriam longos e chatos…
Então por que diabos sou masoquista e treino com tamanha dor? Porque gosto de treinar. Faz muito bem para a saúde física e mental e o principal: ainda que tudo aponte para o meu fracasso, gosto de saber que sou o único capaz de decidir como será o final de minha história.
Queridos, não acreditem quando alguém disser que esta tentando algo impossível, pois o impossível somente existe, até o momento que alguém prova ser possível.
Não fraqueje perante os problemas, pois se eles são grandes, você certamente sairá duas vezes maior que eles ao final.
Jamais desista! Mesmo nos momentos de desanimo, respire fundo e siga em frente. Nunca se esqueça que até um chute na bunda nos empurra para frente!
Boa noite e ótima quarta a todos!

Se foram meus dias de Papai Noel…


La estava eu mais uma vez num bloco cirúrgico. Era a 12ª cirurgia de minha vida. Dessa vez em um local inusitado, o testículo direito…
 Conversei um pouco com a equipe medica, e o anestesista aplicou algo no acesso para me apagar… Todos olhando para mim e… Continuo a conversar.
 Então pergunto:  Vai demorar muito para fazer efeito?
 - Já era para você está dormindo (ops)
 Falei que sempre fui resistente e aplicam nova rodada de sedativo e finalmente apaguei.
Ao acordar, finalmente estava livre do saco de Papai Noel, com o qual desfilei por alguns meses. Hidrocele testicular. Nem sabia que isso existia até ser  vitima de um entorse no testículo direito  e me ver com 550 ml de líquidos em meus países baixos.
 Respeitando as ordens medicas, fui para um hotel, onde deveria ficar em repouso absoluto por 3 dias, e 15 sem pegar peso, com trinta poderia finalmente voltar a treinar.
 Primeiro dia após a cirurgia: Meus filhotes chegam ao hotel para visitar. O menor fica chorando, querendo vir no meu colo e contrariando a todos, o pego, ainda que sentado.
 Segundo dia do pós cirúrgico: Meus dois anjinhos vão passar o dia comigo no hotel e… Duas horas após chegarem, já estava passeando com o Vitor no colo pelo quarto.
Nos dias que se seguiram, todos desistiram de falar de minha recuperação e no 16 dia, voltei aos meus treinos de musculação ;-)
 Não recomendo a ninguém ser tão inconsequente como fui, mas a verdade? Sou pai! Se um de meus filhos pede colo, não consigo negar.
O tempo passou e lá estava eu de novo fazendo careta na academia…
Continua